FINANCIAMENTO ESTUDANTIL: QUAL ESCOLHER?

Tempo de leitura: 6 minutos

Após o vestibular, uma das dúvidas mais frequentes entre os estudantes desejam ingressar na faculdade privada é de que forma vão desembolsar dinheiro para pagar as mensalidades do curso.

O Prova 10 te ajuda a escolher os melhores programas sociais que vão facilitar o seu ingresso no curso de graduação! Neste post, além dos mais conhecidos, a gente informa outras alternativas que poderão ajudar você nessa decisão.

 – FIES: é o Fundo de  Financiamento Estudantil criado pelo Ministério da Educação em 1999. Com o Programa é possível prolongar o prazo de pagamento das mensalidades do curso escolhido. A graduação pode ser financiada, desde que o aluno esteja matriculado no curso.

Para participar, a instituição de ensino precisa ser cadastrada no Programa, e o curso em que o aluno estiver matriculado necessita ter avaliações positivas pelo Ministério da Educação (MEC).

Além disso, os interessados no Fies precisam ter feito as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) a partir do ano de 2010, obtendo média de 450 pontos e não ter zerado a redação. A renda familiar do candidato deve ser no máximo de 3 salários mínimos por pessoa.

O pagamento se inicia 30 dias após a conclusão do curso. O valor das parcelas será de acordo com a renda do formado.

A taxa de juros do FIES é de 3,5% ao ano. Para estudantes de rendas muito baixa, a taxa de juros é zero (disponível para 100 mil vagas).

Saiba mais na página oficial: http://sisfiesportal.mec.gov.br/

– ProUni: é o Programa Universidade para Todos, criado em 2004, o qual oferece bolsas de estudos (parciais ou integrais) para ingressantes de baixa renda. A percentualidade da bolsa de estudos varia de acordo com a nota obtida no Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Assim como no FIES, os estudantes precisam de no mínimo 450 pontos de média e não terem zerado a redação para participarem do ProUni.

Além do mais, os interessados neste Programa devem ter cursado o ensino médio em redes públicas de ensino ou como bolsistas integrais nas escolas particulares. Também não podem possuir diplomas de cursos superiores.

A taxa de juros é de 3,5% ao ano estudantes de licenciatura, pedagogia e os cursos que integram o Catálogo de Cursos Superiores de Tecnologia. Para os demais cursos, a taxa de juros é de 6,5% ao ano.

Saiba mais na página oficial:  http://prouniportal.mec.gov.br

 – SISU: o Sistema de Seleção Unificada, organizado pelo Ministério da Educação (MEC), reserva vagas para candidatos participarem do Exame Nacional do Ensino Médio, o ENEM. Todo semestre, essas reservas são feitas por diversas Universidades Públicas. Os melhores resultados do exame são classificados para preencherem as vagas disponíveis.

Para participar, basta o candidato ter participado da última edição do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) e ter tirado uma nota acima de zero na redação. Podem ser escolhidas até duas opções de curso.

Os resultados são conferidos no Boletim de Desempenho ou através das chamadas sucessivas que o Sistema possui.

Saiba mais na página oficial: http://sisu.mec.gov.br 

– Créditos bancários: Alguns bancos oferecem um financiamento para estudantes de ensino superior. Cada banco oferece um tipo de serviço, entre eles, o Itaú Unibanco, o Bradesco e o Santander. Eencontre seu banco e saiba mais.

A taxa de juros é de até 2,23% ao mês, o valor estabelecido depende de cada banco.

– Quero Bolsa: Criado em 2012, o site Quero Bolsa oferece bolsas de estudo de 75% para todas as mensalidades, inclusive de festas de formatura.

O número é limitado, para participar basta garantir sua bolsa de estudos pagando a pré-matrícula. Os candidatos se formam sem dívidas, pois não é cobrado taxa de renovação da bolsa.

Saiba mais na página oficial: https://querobolsa.com.br

– PraValer: o financiamento através do programa PraValer é feito por uma empresa. É possível que os interessados solicitem o financiamento mesmo sem ter iniciado os estudos, porém o resultado sai somente após a realização da matrícula. O aluno pode conseguir até 50% do financiamento do valor do curso.

O pagamento é divido em duas etapas:

  1. Durante o curso: o aluno paga menores parcelas do valor da mensalidade.
  2. Após se formar: o aluno paga, durante o mesmo período que durou o curso, o que restou das parcelas, mas com valor reduzido. O aluno, entretanto, pode antecipar o pagamento para o momento que for desejado.

Vale lembrar que a taxa de juros é de 2,19% ao ano.

Para participar é necessário que os interessados provem que sua renda mínima seja duas vezes o valor da mensalidade, tenham o nome limpo e um e-mail ativo.

Assim como em outros programas, a instituição também precisa ser cadastrada no programa e também vale para além da graduação, como MBA, Pós-Graduação e outros tipos de cursos.

Saiba mais na página oficial: https://www.creditouniversitario.com.br/

– Educa Mais Brasil: O programa oferece bolsas de estudo em todo o país. A universidade desejada pelo estudante precisa ser cadastrada neste programa e é feita totalmente por ela, ou seja, o governo não tem relação com esse tipo de financiamento. As bolsas chegam até 70% e se destinam para qualquer tipo de curso oferecido por instituições privadas.

Podem participar qualquer pessoa que apresente dificuldade em pagar o valor total das mensalidades. O sistema do Programa avalia se o candidato está apto a participar, se forem aprovados, o Programa entra em contato com o candidato.

Não há juros, mas existe uma taxa de renovação semestral (geralmente um valor muito baixo) que varia de acordo com cada instituição e o curso escolhido.

Saiba mais na página oficial: https://www.educamaisbrasil.com.br

 – Bolsa Universidade: O Programa foi feito pelo Governo do Estado da Educação juntamente com instituições particulares de ensino superior, por meio da Secretaria do Estado da Educação. Concede bolsas de estudo de 50%, e o restante é cedido pela instituição de ensino. Contudo, o valor da bolsa pode variar dependendo da instituição de ensino.

Os participantes desse programa precisam realizar, aos fins de semana, atividades relacionadas ao curso de graduação e/ou habilidades pessoais em escolas públicas e municipais conveniadas com o Programa.

Para participar é preciso se inscrever no Programa Escola da Família. Se ele já possuir um cadastro, basta fornecer o CPF e a senha para efetuar a inscrição nesse Programa. Também é preciso estar matriculado em um curso de graduação em uma instituição de ensino cadastrada no Bolsa Universidade, além disso é essencial ter disponibilidade para atuar aos finais de semana.

Saiba mais na página oficial: http://www.educacao.sp.gov.br 

*O sistema de cotas de cada programa pode ser conferido na página oficial de cada um.